Garrett concedeu uma entrevista ao site Underdog Press, aonde ele conversou sobre Forever Halloween, turnês e o futuro da banda. Confira a seguir a tradução desta entrevista:

Apresente-se e fale seu papel na banda.
Meu nome é Garrett e eu toco baixo na banda The Maine.

Você pode descrever o processo de gravação do Forever Halloween e como foi parecido ou diferente dos álbuns anteriores?
Forever Halloween foi completamente diferente de qualquer outro processo de gravação que fizemos porque gravamos tudo ao vivo. Sempre estivemos interessados em tentar fazer isso mas Brendan Benson foi a força que fez tudo acontecer. A gente já sabia que ia ser gravado ao vivo mas pensamos que seria só uma parte da guitarra, baixo e bateria. Não foi o caso. Tudo foi gravado ao mesmo tempo, até o vocal.

Vocês aprenderam alguma coisa sobre vocês mesmo no processo?
Acho que a coisa mais importante que aprendemos foi confiar e acreditar em nós mesmos. John também aprendeu a deixar as coisas fluírem, ele não censurou as letras e eu sinto que é a primeira vez que consigo realmente escutá-lo em suas músicas.

Qual sua música ou letra favorita do álbum?
Minha música preferida é a primeira do álbum “Take What You Can Carry” ou “Sad Songs” por causa da letra.

De onde veio o nome do álbum?
O nome do álbum veio do cérebro do John. Representa as máscaras que vestimos nos álbuns anteriores. Tenho certeza que ele sabe explicar isso melhor, haha.

Vocês normalmente não fazem músicas com outros artistas/bandas, tem algum motivo pra isso?
Já fizemos algumas colaborações com outros artistas mas recentemente não tivemos tanta oportunidade. Talvez no futuro mais coisas assim aconteçam.

Tem alguém com quem você queira trabalhar em álbuns futuros?
Eu não acho que algum dia pode acontecer mas gostaria de trabalhar com Gregg Alexander da banda New Radicals.

Vocês tem coisas planejadas para fazer depois da 8123 tour?
O plano é só fazer turnês até o próximo ano. Daí em algum ponto começar a escrever e gravar, ainda sem planos para isto.

Falando na turnê, qual é a parte mais legal de estar em turnê com seus melhores amigos?
Não existe nada melhor do que estar na estrada com seus melhores amigos. É selvagem estar em uma turnê que você não precisa conhecer ninguém. Tipo, trouxemos de casa todo mundo com quem saímos e fazemos shows juntos. Eu não acho que terá uma turnê melhor que essa.

Qual foi sua reação quando A Rocket To The Moon anunciou a separação?
É muito triste e é uma enorme chatice. Você nunca quer que seus amigos parem de fazer o que fazem mas se eles sentiram que não estava funcionando mais, a coisa mais importante é que todos eles estão felizes. Eu pensei que ia ter alguma vibe estranha entre eles mas foi completamente o oposto. Todos eles parecem felizes e preparados para o futuro.

Quais são suas expectativas para o futuro, em relação a sua música e o sucesso da banda?
Eu não tenho expectativa nenhuma. Nós estamos felizes e animados porque podemos fazer música e estar em turnê. Estou animado que as pessoas parecem estar amando o álbum e isso é [todo] o sucesso que precisamos.

Algumas últimas palavras para os seus fãs?
Muito obrigado pelo apoio! Nós amamos vocês demais.

fonte