John foi entrevistado pelo site brasileiro 505 Indie. Além de falar é claro, do Brasil, John também fala sobre a Free For All Tour, sobre a mudança do FH para o American Candy, entre outras coisas. Leia a entrevista completa:

 

505 Indie – “American Candy” é bem diferente de seu antecessor, “Forever Halloween”, sendo um álbum mais pop e animado. O que influenciou as mudanças sonoras dos álbuns?
John O’Callaghan: A necessidade de sentir uma mudança positiva gerou esse conjunto de músicas. Eu queria criar canções animadas, tanto sonoramente quanto liricamente, e espero que tenhamos obtido sucesso nessa empreitada e ajudado alguém a se sentir acolhido mesmo que por um momento.

A partir de “Pioneer” vocês começaram a trabalhar de forma independente. O que mudou em aspectos de criação e produção?
A liberdade ilimitada de criação e seguir os caminhos que queríamos foi o que mais mudou. A liberdade vem com a responsabilidade e com os cuidados intensivos de deliberação quando se trata dos menores detalhes da banda, mas isso só torna essa experiência mais gratificante no final.

Essa é a quarta passagem da banda pelo Brasil, país que vocês inclusive escolheram pra gravar o primeiro DVD. O que há de tão especial aqui pra vocês?
A família 8123 no Brasil essencialmente nos adotou e nos aceitou como parte de suas vidas, criando assim uma energia inigualável nos shows. Essa energia continuou nos trazendo de volta e certamente continuará nos trazendo enquanto durar!

Após o término da turnê de American Candy, vocês realizarão a The Free For All Tour. Falem um pouco sobre.
The Free For All Tour é a nossa modesta tentativa de retribuir aos fãs que nos ajudaram e contribuíram tanto em nossas vidas. É simplesmente a experiência de um show – você aparece e assiste música ao vivo de graça. Nós mal podemos esperar para ver como isso vai se desenvolver.

A banda existe há oito anos e começou quando muitos de vocês ainda estavam terminando o colegial. Como foi a experiência de crescimento entre vocês e a constatação do quanto vocês alcançaram nesse tempo?
Nós vimos onde nosso trabalho duro nos levou e com a mesma ética de trabalho, o apoio de pessoas incríveis e alguns momentos de sorte, nós esperamos continuar por muito mais tempo do que mais oito anos.

 O que você gosta de fazer no tempo livre?
Pessoalmente, eu realmente gosto de estar ao ar livre: acampar, pescar, caminhar… Dito isso, você sempre pode me encontrar incorporando música em qualquer atividade que estou fazendo. Música é intensidade.

 

Fonte